Sem categoria

Como faço uma criança comer?

Para responder a pergunta “como faço uma criança comer?” primeiro devemos entender algumas coisas.

Quem come? Eu como, o sujeito come. 

Comer é individual, é um processo fisiológico , inerente ao sujeito.

Eu como e ninguém consegue comer por mim.

E alimentar? Alimentar é um papel social que compete ao cuidador desta criança. 

Quando fazemos essa divisão de papéis fica mais claro entender o momento em que temos  que interferir e o momento em que deveríamos ser um espectador e deixar o protagonismo com a criança.

Quando eu penso no comer, eu penso se vou comer alguma coisa. Eu olho, eu sinto vontade, eu sinto desejo ou … tenho fome. 

Às vezes nem estava com fome, mas só de olhar, sentir o cheiro, questões sensoriais nos remetem ao prazer e sentimos vontade e desejo de comer, mas isso é individual. 

Não conseguimos saber o momento certo do apetite da outra pessoa , mas quando temos o papel social de alimentar o que podemos fazer é conduzir a alimentação de modo que essa criança esteja mais disposta a sentir fome em um momento ou outro .

Então, quando eu sei que sinto  fome?

Eu tenho uma rotina na minha vida, estou falando – eu indivíduo.

Então você! Eu estou falando de você e não da sua criança.

Você tem uma rotina que te leva a sentir fome em determinados horários. Você acorda cedo e pode comer com ou sem fome, ou pode esperar a fome vir. E aí você sente fome e come.  Só depois de um tempo você começa a sentir fome de novo e então você está disposta a comer algo novamente.

Se você ficar muitas horas sem comer e deixar a sua fome ficar muuuito exacerbada, na hora que chega o almoço você vai  comer muuuito, comer mais do que normalmente comeria se estivesse com uma fome média.

Entender melhor a nossa fome é a primeira parte para começarmos a entender como que ajudaríamos a criança a sentir fome também.

Se a criança não quer comer eu não tenho como fazer ela comer! Porque comer é um processo fisiológico, mas como quem alimenta, eu consigo providenciar um ambiente favorável ao comer. 

E como é esse ambiente favorável ao comer?

É um ambiente onde há prazer, vontade, onde há interesse e fome.

Se a criança belisca o dia inteiro… O que a gente não tem? FOME

Se eu tenho um ambiente tenso, onde a criança sabe que vai ser forçada a comer ou ela sabe que vai ter que comer além do que ela está disposta a comer, o que vai acontecer? NÃO TEM PRAZER!

Você precisa lidar com essas situações ambientais de conforto, segurança, vontade, prazer, para possibilitar que esse processo fisiológico que teoricamente seria natural, mas que sofre interferências de todo um ambiente e inúmeras questões sociais. 

Você favorece com que esse processo individual e fisiológico flua!

Então, você não tem como fazer alguém comer, mas você pode providenciar um ambiente favorável e convidativo para comer.


Conheça o minicurso: Alimentar com Respeito

MINICURSO de 3 horas 100% ONLINE.

Acesse a área de membros exclusivos durante 12 meses!

Assista no seu tempo e receba o Certificado Digital com selo do CONALCOLab e da ABED (Associação Brasileira de Educação à Distância)

Minicurso Alimentar com Respeito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *